saúde franchising

Setor de saúde e estética é um dos que mais crescem em franchising

O mercado de saúde e beleza tem se destacado como uma das áreas mais promissoras no modelo de franchising. Em 2023, esse fenômeno foi ainda mais evidente, com um crescimento de 17,5% e um faturamento de R$55,6 bilhões. O Brasil é o terceiro país que mais consome procedimentos estéticos no mundo e ocupa o 2º lugar do ranking, ficando atrás somente do setor de alimentação, mas representa apenas 4% da população. Para os especialistas, o desempenho robusto com um público pequeno é reflexo da fidelidade e de uma busca por bem-estar e cuidados pessoais que devem crescer ainda mais, impulsionando a expansão de franquias e oferecendo oportunidades para empreendedores e avanços para consumidores que buscam os serviços do segmento.

O último relatório levantado pela ABF (Associação Brasileira do Franchising), revela uma oportunidade diversa e significativa para a abertura de unidades desta categoria conquistarem uma parcela maior da economia interna, ou até mesmo para novos investidores se atentarem ao crescimento que tende ser cada vez maior. A concentração de oportunidades, procura crescente e o custo-benefício são os maiores atrativos para um novo investimento em franquias, é o que aponta o especialista em expansão de empresas e CEO da Bumbos, Fábio Constantino.

Leia também: CãoDulas unem paixão pelo esporte e amor pelos pets no Rio Open 2024 e ganham um novo lar

A perspectiva também estimula profissionais de odontologia, que podem realizar harmonizações orofaciais, segundo o Conselho Federal de Odontologia (CFO). Cada vez mais, cirurgiões-dentistas têm aderido à tendência e investido no segmento, que em pouco tempo, pode se destacar como unanimidade nos consultórios. Responsável pelo processo de expansão de redes como a Face Doctor, Botolifting, White Clinic, Diniz Laser e Mellam Face, Constantino justifica que o êxito se dá pois “o custo operacional na área de serviço de saúde e estética é mais baixo e com um mercado que está muito crescente, o investidor navega um pouco na curva da demanda que hoje está reprimida no Brasil”.

Fábio Constantino
Fábio Constantino – Foto: Divulgação

O especialista também aponta alguns pilares que devem ser levados em consideração por aqueles que visam a expansão de empresas deste e de outros segmentos. Entre eles:

O suporte à franquia: Ou seja, quais auxílios serão fornecidos na abertura da nova filial e se a relação com a franqueadora atende todas as necessidades no decorrer do investimento.

O estudo de território:  Práticas simples como averiguar os feedbacks dos clientes da região são necessários para mapear o que está sendo apontado como bom e em quais pontos devem apresentar melhorias, aliado ao uso de tecnologias de georeferenciamento.

A rentabilidade: A análise do teto de investimento deve ser clara, garantindo uma projeção de lucro adequada às estruturas criadas para manter o padrão do negócio.

A parceria: É imprescindível que a relação entre franqueador e franqueado seja aberta ao diálogo e que haja estratégias de crescimento juntos. Para o especialista, é nesse aspecto que se apresenta a base de uma franquia de sucesso.

*O texto foi gentilmente cedido pela assessoria de imprensa

Compartilhe: