Driver

Espetáculo online de “Driver” tem temporada prorrogada

O espetáculo Driver criado a partir de histórias autobiográficas foi idealizado por Victor Abrahão, a partir de sua própria trajetória de vida. No elenco, estão os atores Bia Ferraresi, Duda Paiva, Leila De Noce, Matheus Mascarenhas e Marcelo Stehlick. A temporada foi totalmente gravada e está disponível até o dia 13 de Dezembro com ingressos disponíveis através da plataforma Sympla.

Os 5 atores do elenco, foram convidados e desafiados pelo realizador do projeto a colocar à prova seus limites amorosos. As loucuras de amor propostas na peça teatral estão na barreira entre a realidade e a imaginação. A partir da fusão de diversas linguagens artísticas, o espetáculo performático busca, de um jeito leve e rodeado de divertimento, caminhar por zonas de intermissão no cotidiano e no amor, gerando outros afetos.

Leia também: Prova do Fazendeiro: Rico vence e garante mais uma semana na Fazenda

Todos os atores tem parte de sua própria história. Tem gente que pulou de asa delta por conta de um amor carioca. Outro que projetou um pedido de reconciliação na Rua da Consolação. Uma outra história de um ator que espalhou o perfume da amada por uma estação de metrô. Um que planejou a lua de mel antes mesmo do namoro. E por último, um que comemorou o aniversário do fim em plena Avenida Sumaré.

Victor Abrahão fala sobre Driver e a trilogia

Driver – e toda trilogia – se pauta pela busca em vida por uma zona de intervalo, por uma zona de vazio criativo e de fraqueza no próprio amor. É na zona de intermissão das loucuras de amor que se buscam as formas presentes, tentativa (possível?) de achar uma fenda pelo encontro das imensidões interiores e exteriores, de indivíduos e mundos nos corpos coexistentes apaixonados. Essa busca de tempos, espaços e corpos expandidos será possível ou o náufrago urbano é iminente?”, questiona Victor Abrahão, que avança: 

“A escolha de jovens atores parte da proximidade destes, com sua coragem no ápice, para a abordagem do amor a partir de suas histórias autobiográficas. A juventude em exploração máxima das loucuras de amor – lúdicas e apaixonadas”. 

A ambientação do espetáculo

A peça é basicamente ambientada em uma balada secreta no centro de São Paulo, junto com alguns momentos da cidade. Além disso, é onde os jovens concretizam as suas maiores loucuras de amor. E, mais do que isso, tentam buscar a intermissão em meio à obsessão da paixão juvenil e intensa.

A proposta é trazer para a atmosfera do espetáculo as próprias relações – em seus vazios completos e seus preenchimentos totais -, além do diálogo entre privado e público, indivíduo e todo – com seus respectivos desdobramentos na cidade a partir do amor. Portanto, a cidade, com sua composição arquitetônica e seus espaços inabitáveis, se torna o cenário que é explorado ao máximo por meio de propostas “megalomaníacas” dos atores, além do uso de seus próprios corpos em amplitudes máximas. Poesia em meio, e por meio, da desordem do amor.

Além disso, o objetivo é explorar novas possibilidades de trabalhar no hibridismo de teatro e audiovisual, como consequência absoluta da pandemia que assolou o ano de 2020. “Portanto procuramos utilizar a câmera para além de um dispositivo estático de transmissão; sendo usada como um componente ativo e fundamental da estética do espetáculo através do plano sequência, pesquisa de ângulos e utilização de drone – sempre em relação aos atores e a cidade, proporcionando uma experiência plural e sensorial para o público online”, conta Victor. 

Compartilhe: